Conselho

O agente causador e os sintomas da pasteurelose em bovinos, métodos de tratamento e vacinações

O agente causador e os sintomas da pasteurelose em bovinos, métodos de tratamento e vacinações


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Entre as infecções às quais os animais estão expostos, a infecção do gado com pasteurelose é especialmente perigosa. É uma zoonose contagiosa que atinge não só bovinos, mas também cavalos, ovelhas, porcos e pássaros. Além do gado, a doença pode infectar e matar animais silvestres e aves, como veados, búfalos, saigas. Animais de laboratório também sofrem de pasteurelose. Animais jovens são mais suscetíveis à infecção.

Características da doença

A pasteurelose difere porque afeta vários órgãos de vacas e outros animais. Quando entra na corrente sanguínea através dos tecidos danificados, a infecção se espalha rapidamente por todo o corpo, afetando várias partes. Isso leva ao fato de a doença não ter um quadro clínico pronunciado, uma vez que inúmeras doenças secundárias são a causa da morte dos animais. Por exemplo, se os pulmões são danificados, desenvolve-se pneumonia, olho - conjuntivite, útero - endometrite e assim por diante.

O perigo especial da pasteurelose é que o animal dispõe de muito pouco tempo, uma vez que os microrganismos se desenvolvem com extrema rapidez em qualquer meio nutriente. Isso leva ao fato de que a condição do gado está se deteriorando rapidamente.

Por não ser possível reconhecer de imediato a causa da infecção, a doença pode ir longe e o animal pode morrer. Além disso, os sinais externos podem ser enganosos pela semelhança com o antraz, a peste e outras doenças massivas. À menor suspeita de pasteurelose bovina, é necessário chamar um veterinário e realizar os estudos e exames adequados.

Causas da pasteurelose

O agente causador da doença é considerado condicionalmente patogênico, instável no ambiente externo, destruído pela desinfecção e exposição ao calor. A causa mais comum de infecção é a picada de um animal - selvagem ou doméstico, por exemplo, um cão ou gato, roedores. Entrando no corpo da vítima junto com a saliva, o microrganismo da pasteurella entra rapidamente na corrente sanguínea e se espalha por todo o corpo com sua corrente. Lá ele encontra um "elo fraco" - um órgão enfraquecido, que afeta.

Além disso, a infecção pode passar pelas membranas mucosas, por exemplo, pela boca ao comer alimentos ou grama contaminada com Pasteurella, bem como pelos olhos ou órgãos geniturinários.

Estágios e sintomas da doença

A pasteurelose se apresenta em várias formas, que diferem em suas próprias manifestações e sintomas. O período de incubação dura de algumas horas a vários dias. As formas da doença são diferentes, mas são uma ameaça imediata à vida do animal.

Opinião de um 'expert

Zarechny Maxim Valerievich

Engenheiro agrônomo com 12 anos de experiência. Nosso melhor especialista em chalés de verão.

No entanto, com assistência oportuna, o gado pode ser salvo. Para fazer isso, você precisa diagnosticar e corrigir o tratamento rapidamente.

Ao mesmo tempo, apenas um veterinário experiente pode lidar com os problemas dos animais, uma vez que os antibióticos são usados ​​como medicamento.

Afiado

A temperatura corporal está elevada e o estágio pode assumir três formas:

  1. Intestinal. O gado desenvolve características digestivas como recusa em comer, inchaço, prisão de ventre ou diarreia.
  2. Torácica (pulmonar). Os sintomas de um resfriado são característicos desta forma: tosse, coriza, secreção nasal abundante, respiração ofegante no peito e assim por diante.
  3. Edematoso. Com ele, partes do corpo de uma vaca ou touro incham, pois o fluido é retido nos tecidos.

Cada uma das formas possui manifestações próprias que devem ser levadas em consideração no diagnóstico e na diferenciação de outras infecções. Primeiro, o animal sofre de prisão de ventre e, em seguida, de diarreia com sangue. A epistaxe também pode ocorrer. A vacinação é necessária para salvar o animal, caso contrário, a vaca morrerá em 48 horas.

Subaguda

Bovinos e outros animais desenvolvem tosse e hipertermia, rinite purulenta, inchaço do pescoço e da cabeça. Quando se trata de uma vaca leiteira, o leite não é mais produzido. Sem tratamento, o animal doente morrerá em duas semanas.

Hiperagudo

A temperatura sobe bruscamente para 41 graus, em casos graves acompanhados de diarreia com sangue. O animal desenvolve edema pulmonar e insuficiência cardíaca. Não mais do que meio dia o separa da morte.

Crônica

Esta é a fase mais perigosa e insidiosa, porque o animal pode ficar doente por até 3 meses sem sintomas pronunciados. Ela se manifesta como diarréia prolongada e dolorosa, devido à qual o animal afetado sofre de exaustão e fica muito debilitado.

Como o problema é diagnosticado

O diagnóstico é difícil, pois o quadro clínico da doença é semelhante ao de outras doenças infecciosas perigosas. A avaliação leva em consideração a idade do gado, uma vez que os filhotes são os menos suscetíveis à infecção.

Para obter uma resposta 100% correta, você precisará realizar estudos clínicos e laboratoriais. Para isso, amostras de tecido, amostras de sangue, esfregaços de membranas mucosas são retirados do animal. Quando o patógeno é isolado de várias fontes, a presença de pasteurelose é considerada estabelecida.

Regras para tratar problemas de gado

Para evitar infecções massivas em todo o rebanho, os animais doentes são transferidos para uma sala separada e os bezerros são separados de suas mães.

O gado infectado precisa de calor e secura, por isso a sala deve ser aquecida, protegida de correntes de ar e secura.

Apenas um veterinário pode tratar um rebanho doente ou uma vaca doente individual, desde que seja necessário ter certeza de que o animal está doente com pasteurelose bovina. Para o tratamento, são usados ​​antibióticos da série das tetraciclinas ("Tetraciclina", "Biomicina", "Terramicina", "Levomicetina", "Estreptomicina" e assim por diante). É preciso agir com rapidez, pois em vários estágios da doença o animal só tem algumas horas para se salvar.

Durante o tratamento e a recuperação, o gado deve receber uma dieta balanceada de forma facilmente digerível. Os animais devem ter livre acesso a água potável limpa. Deve ser trocado regularmente e os recipientes devem ser desinfetados. O mesmo se aplica a toda a sala. Também precisa de soluções de limpeza e desinfecção.

Medidas de prevenção

Para evitar infectar o rebanho e disseminar a infecção, as seguintes condições devem ser atendidas:

  1. Manter animais recém-adquiridos por pelo menos 30 dias separados de todo o gado.
  2. Cumprimento da limpeza e desinfecção regular nas instalações para gado e pessoal.
  3. Disponibilidade de roupas e calçados de reposição para o pessoal da fazenda.
  4. Cumprimento de normas e normas sanitárias e higiênicas.
  5. Inspeção de áreas de pastagem de gado, seleção de locais distantes de outras pastagens de gado.
  6. Minimizando o contato do rebanho com outros animais domésticos, agrícolas e silvestres e aves.
  7. Alimentar os animais com ração limpa, bem como observar as regras de armazenamento dos produtos, incluindo silagem, concentrados, ração mista, em sala especial com observância das condições de temperatura e prazo de validade.
  8. Uma vez que a fonte de infecção pode ser qualquer animal, incluindo ratos, é necessário realizar regularmente a desratização das instalações, bem como envenenar camundongos do campo em pastagens usadas para pastagem de gado e em campos semeados com capim para feno.

As medidas preventivas podem ajudar a limitar a infecção no gado, mas apenas a vacinação pode proteger totalmente o gado contra doenças. A vacinação é realizada semestralmente, uma vez que o produto confere proteção contra infecções por um período de 6 a 12 meses.

Se for constatado surto de pasteurelose bovina na fazenda ou nas parcelas particulares subsidiárias, durante o ano é possível adquirir novos animais que acabam de ser vacinados e com garantia de proteção contra infecção, bem como de segurança para o restante do o gado.

Quarentena

Um pré-requisito para o reabastecimento seguro do rebanho é o cumprimento estrito da quarentena. Somente limitando os contatos do gado, a forma latente da doença ou seu período de incubação podem ser revelados.

Para isso, pelo menos um mês de manutenção separada de novos animais é usado. Durante esse tempo, os recém-chegados precisam de monitoramento constante, o que revelará os menores sinais da doença. Assim, será possível detectar não só a pasteurelose, mas também uma série de outras doenças não menos perigosas.

Depois que o período de quarentena tiver passado e os animais não apresentarem sinais de infecção, os recém-chegados podem ser transferidos para um rebanho comum sem medo para o bem-estar de todo o gado.


Assista o vídeo: SENAR em Campo: Bovinocultura de Corte - Cuidados na vacinação de bovinos (Pode 2022).