Conselho

Os métodos mais eficazes de como lidar com a quilha no repolho


O repolho Keela é uma doença insidiosa causada por um fungo. O repolho é uma cultura vegetal muito comum. Suas plantações podem ser encontradas em quase todos os jardins. Este vegetal é saudável e delicioso, mas não é fácil de cultivar. É bastante difícil, mesmo para um jardineiro experiente, proteger o repolho das quilhas e do ataque de pragas, para cumprir as regras de cultivo. É quase impossível se livrar dessa doença.

O que é keela

A quilha é suscetível a todas as variedades de repolho e repolho: nabos, rabanetes, alface. Sua natureza fúngica torna a planta impossível de curar. A parte da planta infectada, localizada acima da superfície da terra, parece deprimida: as folhas tornam-se letárgicas, começam a enrolar. Isso acontece mesmo se o solo estiver bem umedecido.

Se uma quilha apareceu, você precisa prestar atenção à raiz. Se a doença se formou, então você pode ver o rizoma completamente coberto de protuberâncias, que se transformam em galhos que parecem desagradáveis, até feios. As raízes reais morrem muito rapidamente e a planta deixa de existir.

Mas isso não é o pior. Como a keela é uma doença fúngica, seus esporos, multiplicando-se, preenchem rapidamente toda a área, afetando outras lavouras. Tudo o que o jardineiro cultiva no jardim está sob ameaça de destruição. Portanto, quanto mais cedo a proteção for organizada, mais solo será salvo.

Além do repolho, outras culturas também podem adoecer:

  • rabanete;
  • sueco;
  • mostarda;
  • agrião;
  • daikon.

Se uma quilha apareceu no repolho, nem todos os jardineiros sabem lutar. Os sintomas são difíceis de detectar no início.

Quando a planta começa a mostrar a dor de seu estado, não é mais possível restaurar sua força e saúde, mas tudo o que está por perto pode ser salvo. Para fazer isso, você precisa saber como lidar com a quilha do repolho.

Como a doença se manifesta

Antes de se livrar das plantas infectadas, você precisa ter uma confiança precisa na confiabilidade dos sintomas. O primeiro sinal pelo qual você pode identificar a quilha é folhas murchas. Com plena confiança de que esse fenômeno não foi revelado devido ao solo seco, é necessário desenterrar a futura cabeça de repolho e examinar cuidadosamente as raízes da planta. Se eles têm feridas salientes, isso é uma quilha de repolho, que pode infectar as raízes de outras plantas.

Os sintomas que se formam nas raízes literalmente afogam a planta. As raízes pequenas, devido às quais o vegetal é nutrido, perdem a capacidade de crescer. O desenvolvimento do repolho pára. Logo o crescimento dos crescimentos torna-se tão ativo que a cabeça do repolho morre.

Todas as plantas diagnosticadas com a doença do repolho devem não apenas ser removidas, mas também destruídas. Não é difícil libertar a terra: as raízes da planta morrem, perde-se a ligação com o solo, o repolho é arrancado com facilidade.

Deve-se notar que os crescimentos nas raízes de uma cabeça de repolho podem atingir o tamanho de um punho e então começar a apodrecer. Assim, um cisto se forma no solo, que se espalha e infecta plantas saudáveis.

Se a prevenção da doença não for realizada, a eliminação dos esporos dos fungos pode se manifestar novamente nos próximos cinco anos.

A derrota da cabeça do repolho com a quilha pode ocorrer em quase qualquer estágio de seu desenvolvimento. Mudas jovens, cujo crescimento é ativo e rápido, são mais suscetíveis a doenças. A aceleração do desenvolvimento da doença pode ser afetada pelo aumento da acidez do solo.

Externamente, a quilha do repolho se manifesta como folhas murchas. O desenvolvimento lento indica um problema com a planta. No início, as folhas do repolho têm uma tonalidade roxa clara, que muda com o tempo para amarelo. Se você não tomar medidas para salvar a colheita, depois de um curto período de tempo todas as plantas secarão e os esporos continuarão a se espalhar no subsolo.

Os esporos que estão dormentes no inverno toleram muito bem o frio. Assim que as condições climáticas são favoráveis, eles começam a crescer. Formam-se zoósporos, que entram na planta através dos pelos das raízes. Chegando a um tamanho impressionante, os montículos bloqueiam o desenvolvimento da planta, razão pela qual o fluxo de umidade de alta qualidade para e impede o recebimento de nutrientes.

Causa da infecção da quilha

O risco de uma quilha aparecer no jardim surge com mais frequência quando as mudas de repolho são compradas em locais não verificados. Trabalhando com fins lucrativos, vendedores inescrupulosos economizam dinheiro no cultivo e nas mudas. Como resultado, você pode facilmente trazer a quilha para o seu jardim, e se livrar dela será muito problemático, especialmente sem saber o que fazer neste caso.

Os esporos do fungo Plasmodiophora brassicae vivem no solo por pelo menos 5 anos. Este é um parasita habilmente disfarçado no início. Portanto, em um estágio inicial de desenvolvimento, as feridas são muito pequenas e, a olho nu, é difícil distingui-las das raízes reais.

No processo de crescimento, o crescimento aumenta de tamanho, começa a substituir as raízes da planta. Em estado maduro, os esporos também são perigosos porque permanecem por muito tempo no solo. Qualquer planta pertencente à família das crucíferas pode provocar o crescimento de esporos de fungos, mesmo que seja uma simples erva daninha.

Métodos de controle

Os métodos para lidar com a quilha nas raízes do repolho serão ineficazes nas fases posteriores do desenvolvimento da doença. Nesse caso, você pode tentar apenas um método: promover o desenvolvimento de raízes adventícias. Para isso, a cabeça do repolho deve ser ensopada e regada sistematicamente.

Antes de cavar o solo no final do outono, você pode polvilhar o solo com cal. No entanto, a maneira mais eficaz de evitar a reinfestação com a quilha é evitar o plantio de crucíferas nesta área do jardim.

Obviamente, as partes danificadas das raízes do repolho não devem ser armazenadas no local. É melhor queimá-los. Como é quase impossível curar uma planta infectada, certas ações podem ser tomadas para tornar o solo seguro para o plantio, que aparecerá no local no próximo ano.

Tratamento de sementes

Antes de colocar as sementes no solo, elas precisam ser processadas, sabendo curar. Isto pode ser feito de várias maneiras:

  • colocação em um imunoestimulante;
  • tratamento de água quente por 20 minutos;
  • exposição por 6 horas em solução de mostarda, cuja concentração é de 1,5%;
  • colocado em uma solução de ácido ascórbico, é necessário processar as sementes por 16 horas;
  • resfriamento durante o dia, o local ideal para essa manipulação é uma geladeira, cuja temperatura não é superior a 2 cerca deA PARTIR DE.

Este método, é claro, não é uma panaceia, porque a doença da couve keela pode se espalhar no canteiro do jardim com mudas. Mas se a infecção estiver escondida nas sementes de repolho, ela pode ser eliminada usando os métodos de tratamento de plantio descritos acima.

Tratamento de solo

Se a área já foi afetada por uma quilha, o solo deve ser curado. Em primeiro lugar, recomenda-se cultivar neste território plantas que matam os esporos da quilha no repolho: tomate, batata, cebola e alho, beterraba. Essas safras podem lidar com eles em 2-3 anos.

Em uma estação, os esporos de fungos podem destruir combinações de plantas como tomate e alho. Existem culturas que, pelo contrário, devem ser evitadas quando há perigo de ferimentos: é preciso estar atento às ervas daninhas que vão surgindo. Leitos estreitos podem impedir o desenvolvimento da doença: esta tecnologia ajuda a prevenir a lesão primária durante o cultivo de repolho.

Recomenda-se atentar para a possibilidade de mistura de solo limpo com contaminado. Isso deve ser evitado. A prevenção realizada reduzirá a probabilidade de propagação da doença para que a terra curada produza uma boa colheita.

Métodos agrotécnicos

As opções para lidar com a quilha no repolho podem ser diferentes, mas não se pode prescindir do uso de técnicas agrícolas. É imperativo monitorar a reposição da deficiência dos componentes de potássio e cálcio no solo, para prevenir a falta de zinco, cloro, boro. O conteúdo de húmus pode ser aumentado até 2,5 vezes em comparação com o normal. Não prejudica as plantas e o salitre.

Keela é muito astuta. Ao lutar contra isso, você não deve ignorar questões relacionadas à rega. Deve ser executado com muita competência: o alagamento do solo pode afetá-lo adversamente, assim como o ressecamento excessivo.

Métodos tradicionais

Os realmente eficazes para quilha sobre repolho são aqueles que combinam medidas diferentes. Os medicamentos tradicionais também não devem ser ignorados.

Jardineiros experientes chamam as formas mais populares de processar o repolho:

  • tratamento com líquido Bordeaux - esta ferramenta elimina efetivamente os problemas de solo;
  • adicionar uma pequena quantidade de cinza de madeira ao buraco - depois regar a planta;
  • regar com leite de cal;
  • afrouxamento regular com adição de fertilizantes minerais.

Se aparecer keela - uma doença do repolho, poucos sabem como lutar, no entanto, as técnicas populares simples são familiares a todos que se esforçam para obter uma colheita abundante e de alta qualidade em suas casas de verão. Todos podem agir com remédios populares, porque são métodos comprovados que não requerem custos financeiros especiais.

Como prevenir a propagação

A primeira coisa que ajudará a prevenir o aparecimento e a propagação da quilha é um exame cuidadoso das mudas adquiridas. Se não inspirar confiança, é melhor recusar o repolho.

A prevenção ajudará a prevenir o aparecimento desta doença. Estas são as seguintes medidas:

  1. O amontoamento obrigatório da futura cabeça de repolho depois de alimentado, a planta deve ser regada. Isso contribui para a formação de um sistema radicular mais poderoso.
  2. Limpeza de todos os tocos após a colheita. Ajuda a prevenir possíveis acúmulos de decomposição.
  3. Retirar todas as plantas infectadas e queimá-las em uma folha de metal. Não caminhe pelo jardim no momento com seus sapatos e roupas habituais. A ferramenta de trabalho deve ser separada, que é melhor destruída mais tarde.
  4. Manter o nível de acidez do solo em um nível médio. A terra não deve ser muito ácida ou, ao contrário, pouco oxidada.
  5. Alimentação de plantas com preparações de potássio, cálcio, magnésio e cloro.
  6. Adicionar farinha de dolomita ao buraco na hora do transplante.

Será útil alternar as culturas plantadas na mesma área. As variedades que aparecem nas camas devem conter uma marca na embalagem sobre a resistência ao desenvolvimento da doença.


Assista o vídeo: NÃO COMA REPOLHO Antes de Ver Esse Vídeo! É Impressionante o Que Ele Faz Para Saúde! (Dezembro 2021).